Tropeços


Tropeço um milhão de vezes no mesmo lugar
Peço ajuda a quem não pode me ajudar
Sinto-me dentro de um labirinto sem saída
Com uma bússola que nada indica

O norte nada difere do sul
Nem o céu é mais azul
Me pergunto se devo fugir
Ninguém me impediria de ir

Peço a Deus que multiplique minha esperança
Dizem que depois da chuva vem a bonança
Calmaria em nada me ajudaria
Nem mesmo minha rebeldia

Então fico a aguardar
Sem saber onde isso me levará
Talvez esse seja o ponto
A gente precisa estar pronto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E o que eu tenho feito da vida?

É certo que duvido