Páginas

quarta-feira, 30 de março de 2011

E o que eu tenho feito da vida?




Sei não... Talvez jogado tempo fora em jogos vazios e em formas inúteis de me entreter. O que foi mesmo que fiz na semana passada? Não sei, não me lembro. Às vezes anoto coisas na agenda, às vezes não escrevo nada, esqueço. Algo importante? Talvez sim, provável que não. Então decido não deixar nada pra segunda-feira, começo academia amanhã mesmo! Sexta-feira?  É, começo logo amanhã que é pra não dar preguiça. Eu me conheço bem. Academia? Isso não é pra mim, semana que vem já era.
Percebi que toda vez que vou à praia, prometo a mim mesma. “No próximo verão, meu corpo vai estar bacana, esse ano eu vou malhar!”... Já tô com mania de desacreditar.
A cada novo começo de ano, eu tenho novos planos, faço promessas que certamente não hei de cumprir.
“Esse mês vou começar a procurar um trabalho na minha área!”... Sabe que até eu mesma já cansei de me ouvir falando isso? Sério!
Certos dias pra cá, comecei a questionar minhas escolhas, ou a falta delas. Será que eu tô fazendo certo, ou é minha vida que tá passando rápido demais? Cara, eu simplesmente vivi todos os dias, mas certamente não vou me lembrar de muitas coisas, nem se alguém me contar. E não, eu não bebo diariamente nem fumo também. O que aconteceu em 2009? Putz, eu sei lá o que aconteceu. Passado é passado, não lembro. Na minha cabeça o arquivo é pouco dividido, ontem tá junto com mês passado ao lado de 2008, perto 2001... Copas do mundo? Ah, só lembro que uma vez o Brasil ganhou, outra vez perdeu. Memórias boas e memórias ruins, eu divido assim. Pode ser?

E então nesse papo aqui meio sem pé nem cabeça, onde é mesmo que eu quero chegar?  Acho que em lugar nenhum, sei lá, já têm livros de autoajuda demais, dizendo que a gente precisa viver o hoje, aproveitar o dia como se fosse o último, não é mesmo?
Se eu vivo assim? Evidente que não, não vai dar pra sair por aí pulando quando eu tiver TPM, olha que eu nem tô levando a frase ao pé da letra, é que se fosse pra viver assim, dificilmente eu ia ter grana pra pagar as contas. Mas eu consideraria interessante gastar tudo com cachaça, amanhã ninguém iria ter ressaca mesmo. 


E o que tenho feito da vida? Boa pergunta, só sei dizer que eu tô aqui tentando encontrar um equilíbrio entre as coisas que  precisam de espontaneidade e essas outras que precisam de disciplina. Uma vez um professor que tive na faculdade citou algo mais ou menos assim: "Quem não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve". 
E quando é mesmo que eu vou começar a mudar?
Já comecei, não percebeu? Sabe como é... As coisas demoram um pouco pra acontecer. Ando me esforçando. Esse ano pela primeira vez, eu tenho uma agenda que disciplinadamente escrevo desde o primeiro dia de janeiro, estou frequentando academia regularmente e ando juntando coisas para um portfólio. 
Pouco? Pode ser, mas eu prefiro assim, sabe aquele ditado, "devagar e sempre"? É isso aí!

quarta-feira, 23 de março de 2011

Se sou livre

Em determinado momento comecei a sentir como se quanto mais duvidassem da minha capacidade, mais certeza eu pudesse ter de que ninguém pode me deter.
Eu não posso me calar, evidente que não devo deixar que o veneno do mundo possa em mim se derramar.
Não vou permitir que a  minha falta confiança se reflita na vontade que tenho de realizar meus sonhos. 
É como se eu ganhasse forças pra acreditar que sou maior do que quem me diminui, e a cada crítica destrutiva ou mal-intencionada eu tenha ainda mais certeza do meu potencial. 
Ninguém nesse mundo pode me tirar o que comigo carrego. De peito aberto continuarei a viver, porque a pessoa que sou, não quer mais se esconder.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Quem sou

Estou longe de ser o que tu pensas
Tampouco como tu queres
Provável o avesso de tudo isso
Ainda menos previsível
Quer entender? Conheça
Quer conhecer? Mereça!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails