Páginas

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Alma clara

Peruíbe - by: Kati
Vê? A paz está em mim e eu não tenho feito força
Eu não exigi nada, parei de me incomodar e o sol parece iluminar a minha casa.
Sim, eu sei que ele estava ali no mesmo lugar ontem, assim como a probabilidade me indica que estará amanhã. Mas é que hoje é diferente, eu posso senti-lo na pele como se me hidratasse, me alimentasse. E eu só pude sentir isso quando deixei pra trás o que pesava. Quando parei de temer, e me vi solta, voando por um espaço que eu não sei onde começa ou termina.
É, minha alma está clara agora.

sábado, 16 de abril de 2011

Charles Chaplin

Pintura: Kati Froes

"Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá."


Charles Chaplin
(Em 16/04/1889, há 122 anos nascia um dos maiores gênios que a humanidade já conheceu.)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Afetiva vida

Kati Froes
Nem sempre tão desencanada nem desinibida
Nem sempre tão aventureira ou descontraída
Era simples e estava nisso seu esplendor
Beleza calada de inconsciente ardor
Não havia fingimento
Em sua forma de expressar-se
Era malícia nos olhos alheios
Ou pura crueldade
Tinha inocência acentuada
Um tanto desmedida
Mas no fundo só queria um amor
Uma afetiva vida

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Crisálida

Kati Froes

De quando em quando eu tento me mover e permaneço imóvel
Misto de cansaço e descanso
Aspiração por liberdade
Sinto medo do amanhã
Com esperança de um novo dia
Fico aguardando
Sufoco me angustia
Sinto algo novo em mim, mas não sei nomear
Durmo pra esquecer e acordo sem saber
Estranhamento
Novidade aparente reluz
Fuga breve
Nova fase
Anseio de aprendizagem.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Alguma felicidade

Kati Froes


Vou andar por aí sem rumo
Sem nada procurar
Ou intencionar
Quando voltar
Quero trazer poeira nos pés
Alguma felicidade dentro da mochila
E um pulmão ansiando em respirar uma nova manhã

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Aos pedaços



Cada dia era perfeito
Prazer absoluto e pleno
Agora ela chora
Num chão frio
Coração desiludido
Se fosse pra ir tão rápido
Avisasse
Se fosse só pra curtir
Que ela soubesse
Mas não lhe jogue na cara
Essa felicidade desmedida e mentirosa
Não finja respeito
Se o que você quer é sapatear

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails