Páginas

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Lembranças

Os azulejos estão no mesmo lugar, assim como o arranjo de flor artificial na mesa de centro.
Tudo permaneceu imóvel na velha casa durante anos, mas o tom não é o mesmo e nem o cheiro; o pó é visível e incômodo, cobre os objetos. A prataria embaçada nem de longe são as mesmas daquele tempo. Os livros na estante comidos por traças, já não podem ser lidos.
Eu só posso convir que até os objetos envelhecem. Lá fora o mato cresceu, tantas plantas murcharam, outras novas nasceram. O balanço em que eu voava está quebrado, a velha tabela de basquete enferrujada, não há bolas nem vidraças, nem brincadeira de taco. Só há lembranças, um passado enfeitado como bolo de aniversário.

4 comentários:

  1. Os azulejos sempre estão em seus lugares...
    São nossos olhos que os vêem de forma diferente.
    E isto é muito bom!!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Bem imagético. E legal ver sua arte visual também. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Mas quando ficam lembranças...já é muito bom!!
    Bjs
    Graça

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails