Estilhaços


Andei tentando juntar os cacos estilhaçados de mim
Alguns pedaços quebrados por tanto cair
De passo em passo, e de caco em caco tento me recompor
De vazios e outros estragos, feridas e dor
Sinto-me como uma bala perdida e parada estou
Perco-me de tudo que vivi, ou nada restou
Desconcerto desordenado
Lembranças amargas, mas ainda tento
Impaciência, como é difícil livrar-se dos remendos
Se é falta ou excesso, é algo que nem sei dizer
Talvez amanhã, haverá novas páginas, que haverei de escrever

Comentários

  1. Creio ser assim mesmo que as estórias são contadas, uma página de cada vez, uma linha de cada vez, uma palavra.

    Que os próximos capítulos te façam mais forte, mesmo se não forem os mais doces.

    Beijo carinhoso. <3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

E o que eu tenho feito da vida?

É certo que duvido