Aquele fio desencapado

Sorria;
Bebia sua cerveja, como se fosse doce
Suspirava;
Festejava a vida como um carnaval
Divertia-se;
Ouvia qualquer que fosse a prosa
Alegrava-se;
Estava tudo nos conformes

Se fosse dia;
O sol lhe reverenciaria
Se fosse noite;
As estrelas brilhariam
Se fosse maio;
A brisa lhe sopraria no rosto
Se fosse acaso;
Nada planejaria

A poesia;
Bem contada seria
As piadas;
Engraçadas soariam
Aquele cadarço;
Ela por vezes amarraria

E aquele último gole do copo trincado?
...

Comentários

  1. lembranças... Lembrei de mim! Copo trincado...
    Ótimo, adorei!

    Bjo

    ResponderExcluir
  2. E aquele último gole do copo trincado?

    Fiquei curioso...

    ResponderExcluir
  3. Talvez fosse o limite entre a alegria de viver, o e o choro da desesperança.
    Bjux

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

E o que eu tenho feito da vida?

É certo que duvido