E nada



Voltemos ao início de tudo
Voltemos ao último resquício perdido
O que encontro, senão, nada?
Nem vento, nem sol, ou dia nublado
Nem caixas, nem dança, nem circo
Foi mágica, foi sonho, ou nem foi
Foram pensamentos aos montes, ou tudo verdade
Memórias, lembranças, invenção
Mentiras, compulsão, susto
Maior ou menor que a realidade
Exercício da solidão
Diversão de faz de conta
Tudo é, e não;
Aconteceu, e nada existe

Comentários

  1. Muito lindo. "Aconteceu e nada mais existe", é assim. As coisas se vão, praticamente sendo roubadas da gente. E depois parece apenas um faz de conta.
    Lindo Post. Até logo moça.
    Bjws"

    semguarda-chuvas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Palavras bonitas. Ainda que um pouco doídas.
    "Aconteceu, e depois nada mais existe. Sei exatamente como é isso.
    As coisas parecem ser roubadas da gente em seus melhores momentos né. Lindo moça. Até logo.

    semguarda-chuvas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Não sou fã de exercício de solidão, acho que a lição pode ser ser dura demais pra aprender sozinho. Tudo lindo aqui, sempre.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  4. Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
    É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
    Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

    CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

    Que toda poesia seja livre!
    Fred Caju

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

E o que eu tenho feito da vida?

É certo que duvido